A Lenda
 LENDA DA MISARELA
 
O povo Barrosão é essencialmente religioso, mas por vezes recorre às bruxarias, à medicina popular, às crendices, para ver se consegue adquirir aquilo de que tem necessidade. A comprovar o referido, citamos a célebre lenda da ponte da Misarela.
 
Conta-se que em tempos que já lá vão, um homem, fugitivo da justiça, vivia escondido entre arvoredos e rochas, junto ao rio Rabagão.
Um dia foi descoberto e queria fugir, mas como não conseguia passar o dito rio, devido à altura e às lajes que o rodeavam, desnorteado exclamou:
- "Por Deus ou pelo diabo, havia de me aparecer aqui uma ponte!"
Para espanto do homem, no mesmo instante apareceu a ponte e o diabo em cima da mesma disse:
- "Deixo-te passar, mas com a condição de me venderes a tua alma."
O homem como estava aflito, disse-lhe que sim e lá passou.
Tempos depois, arrependido, foi-se confessar a um padre e contou-lhe o que se tinha passado. O padre decidiu então ir resgatar aquela alma ao diabo. Para isso arranjou uma caldeira com água-benta e ao chegar ao tal sítio fez tal e qual como o fugitivo, e, nesse mesmo instante, apareceu-lhe o diabo.
O padre ao ver o diabo, aspergiu-lhe água benta com um ramo que cortou do arvoredo e nesse mesmo momento o diabo deu um estouro e deixou no ar um cheiro diabólico.
Como a ponte ficou benzida, o povo começou a acreditar que lá se poderiam operar milagres.
Como havia muitas mães que não conseguiam vingar os filhos, a partir daquele momento, o casal quando sentia que a mulher estava grávida, ia, e vai, para lá antes da meia-noite, leva uma corda e um copo, acende uma fogueira de lume no meio do arco da ponte e espera até passar a 1ª pessoa para lhe baptizar o filho no ventre materno.
Se não aparecer ninguém de noite têm que esperar até que surja alguém, mesmo que seja dia.
Enquanto não for baptizado, o homem, pois a mulher não pode sair do meio do arco da ponte, enxota todos os animais ou a pessoa que por lá queira passar e não queira fazer o baptizado.
Quando por fim aparecer alguém que lhe queira baptizar o filho, homem e mulher, pega na corda enrolada no copo e colhe água que passe debaixo da ponte. Se por acaso o casal se esquecer de levar a corda, o padrinho ou a madrinha pega no copo, vai de volta e colhe água debaixo da ponte, custe o que custar.
Começa então o baptizado.
O padrinho ou madrinha diz: -"Eu te baptizo criatura de Deus, pelo poder de Deus e da Virgem Maria. Se fores rapaz serás Gervaz(io), se fores rapariga Senhorinha."
A mulher que anda grávida desaperta a saia e é-lhe deitada água na barriga.
O padrinho continua: -"Agora vamos rezar um Pai Nosso e uma Avé Maria."
Rezam o Pai Nosso e a Avé Maria, mas não se diz o Amén na Avé Maria.
Diz a lenda que todos os fetos que forem lá baptizados não morrem. Se morrer, o primeiro pedido que faz a Deus é pelos padrinhos, o segundo é pelo pai e o terceiro é pela mãe.
Ainda hoje existem muitas mulheres que acreditam na lenda e não se interessam em passar lá noites e noites para ver se conseguem vingar o seu filho.
Será que a lenda tem um fundo de verdade? Não sei! A verdade é que no nosso Barroso há muitos Gervásios e muitas Senhorinhas.
Há quem diga que a Ponte da Misarela foi feita pelos mouros. Na zona da ponte há muitos rastos de mouros. Há desenhos gravados nas pedras e há minas. Há também um penedo chamado a mesa dos mouros, que tem gravada uma sertã de fazer filhós e pegada à mesa uma rapadoira das mulheres virarem as filhós. É tudo lavrado a cinzel, nem tem era, nem tem letra nenhuma.
Perto da mesa dos mouros há outra pedra com um desenho duma ferradura de um cavalo. Noutro local próximo, há outro penedo com as pegadas de todos os animais gravadas e uma mina que não se sabe o comprimento. Esse local é chamado o "Lagar da Poça".
Gostávamos que alguém providenciasse um estudo minucioso, pois achamos que vale a pena. Devemos preservar os vestígios da Nossa Cultura.
2017 Associação Amigos de Vila Nova